Por quê devemos nos preocupar tanto com a obesidade?

 

Entenda!

Recentemente o Ministério da Saúde divulgou uma pesquisa onde revela que quase metade da população Brasileira está acima do peso. Segundo o estudo 42,7% da população estava acima do peso no ano de 2006. Em 2011 esse número passou para 48,5%. A acada ano que passa os números vão se tornando muito mais alarmantes. A obesidade é caracterizada pelo aumento da quantidade de tecido adiposo, deixando desproporcional o peso corporal total em relação a altura. Uma das formas mais comuns de identificar o sobrepeso e a obesidade é através do calculo de IMC (Índice de Massa Corporal), que está disponível em qualquer site de analise de composição corporal ou você pode identificar este índice em sua avaliação física. Este controle deve ser feito de forma regular, pois o acumulo de gordura pode desencadear uma série de problemas que podem levar qualquer individuo a óbito. As doenças mais comuns são: a hipertensão, problemas cardiovasculares, diabetes tipo 2, artrose, pedra na vesícula, artrite, refluxo exofágico, tumores de intestino e de vesícula. As causas da obesidade estão intimamente ligadas ao patrimônio genético da pessoa, maus hábitos alimentares ou a disfunções endócrinas. Por esses motivos é super importante que antes de iniciar o processo para emagrecer, procurem especialistas no assunto.

 

De fato o que deve ser feito primeiramente é realizar um controle nutricional e buscar a prática de atividade física regular. O processo deve ser sistematizado e com a utilização de estratégias que potencializem a diminuição do percentual de gordura e do peso corporal total. O que vale salientar é que caso resolva iniciar a atividade física mais não realiza nenhum controle nutricional o esforço será desnecessário, pois o exercício só fará seu papel se a alimentação estiver equilibrada. Segue abaixo 5 coisas que você deve fazer antes de iniciar o processo de perca de peso:

  1. Procurar um médico para realização de exames específicos que vão proporcionar um maior mapeamento fisiológico para os profissionais que vão lhe acompanhar;
  2. Ir ao nutricionista para iniciar o controle alimentar;
  3. Buscar ajuda de um profissional de Educação Física credenciado para orientação e acompanhamento da prescrição e periodização do treinamento;
  4. Manter o foco na rotina diária mantendo o bom controle alimentar e a prática de atividade física regular;
  5. Procurar sempre que possível socializar com pessoas que estejam passando pela mesma dificuldade que você buscando sempre a motivação mutua para que a força de vontade não diminua e que você consiga chegar ao objetivo de forma saudável.

Sendo assim, vamos deixar a desculpa de lado e começar os trabalhos.

Prof. Esp. Joaquim Viana

Fisiologista